Major Araújo fala sobre o assassino da menina Ana Clara para que todos entendam o que realmente aconteceu.

6 comentários:

  1. O senhor é experiente, desde o início já saberia que a história dele era falsa. Se não identificou desde o início, nos faz questionar sua experiência como policial. Por que o senhor mesmo não ligou para a olícia, ao perceber que a noiva dele não foi adequadamente atendida? Por que o senhor não passou o número do telefone público para a polícia, que poderia rastrear o local e prender o bandido? Essa história está muito mal contada. O senhor deve explicações à sociedade, porque, além de cidadão, que já tem a prerrogativa de ter que denunciar um suspeito, é um deputado, que se comprometeu a trabalhar pela sociedade. Então o senhor deve, sim, maiores explicações à sociedade, e, principalmente, à família da Ana Clara

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. O senhor disse que não tinha obrigação de fazer isso, que "estava tentando dormir". Se tivesse desde a primeira ligação o senhor mesmo entrado em contato com a polícia, poderia ter voltado ao seu sono despreocupado, porque nitidamente estava mais preocupado com o seu sono do que com uma menina de 6 anos que foi assassinada, cujo autor estava diante do senhor, praticamente confessando o crime.

    ResponderExcluir
  4. Outra coisa: a cobrança por parte da sociedade não tem relação com política. Eu, que sou de SP, achei um absurdo como o senhor reagiu a essa situação. Imagino quem mora na cidade, o que deve sentir. O senhor precisa admitir que agiu de forma incorreta, no mínimo. Isso não é questão de política, mas de bom senso

    ResponderExcluir
  5. Ou seja, o senhor só tentou ligar para seus conhecidos da polícia, para passar as fundamentais informações que tinha, 15 horas depois da primeira ligação da noiva dele. Um pouco tarde, não acha?

    ResponderExcluir